You are currently viewing 7 dicas para fazer uma boa inspeção de manutenção
  • Reading time:17 mins read

7 dicas para fazer uma boa inspeção de manutenção

Para mantermos uma empresa em dia é preciso visar a sua manutenção.

Independentemente do negócio e do ramo que ele ocupa, deve-se trabalhar com a ideia de manter inspeções e procedimentos. 

Por isso, manter a “casa” em ordem, passa diretamente pela sua organização

Pensar nisso remete às máquinas, os equipamentos e demais peças que fazem parte da nossa rotina. 

Mas, só fazer a manutenção de um item específico ou outro não é o suficiente para evitar falhas.

É preciso tomar mais cuidado. E esses cuidados só vão surgir através de uma boa inspeção, guiada, seguindo uma estrutura eficaz.

E para te contar como isso é possível, separamos 7 dicas essenciais.

Te desejamos uma ótima leitura! 

Inspeção e manutenção

O que é uma inspeção? E a manutenção? 

Antes de entrarmos no tema tratado e te dar as dicas que tanto espera, vamos te contar o que significa cada termo. 

Pois, é importante saber as diferenças entre os termos, para entender a inspeção da manutenção. 

Então vamos lá.

A inspeção é a checagem de itens, sejam eles equipamentos, peças e máquinas

A análise, que é feita com base em uma lista de verificação, tem uma ordem definida e ocorre com um propósito.

O objetivo é identificar se existem conformidades ou não conformidades.

Se apresentam riscos à saúde do colaborador ou apresentam outras falhas.

 Que vão fazer a diferença na hora de produzir e de manter um padrão de qualidade pré estabelecido. 

Essa fiscalização serve como um termômetro do negócio e ajuda a guiar os próximos passos. 

Mas e a manutenção? 

Esse termo que costumamos ouvir em nosso dia a dia é bastante usado na vida de empresas e indústrias. 

Pois, elas necessitam manter aquilo que vem sendo feito, para que consiga atingir bons resultados. 

A explicação de uma manutenção para esses ramos está diretamente ligada a reparos e verificações, a fim de manter uma ordem. 

Colocando em palavras mais diretas, podemos chamar de ajustes ou correções. 

Tudo em prol da manutenção e melhoria de um serviço. 

Então, a boa inspeção de manutenção é analisar se os ajustes estão em dia. 

Mas não é tão simples assim, por isso, leia os próximos 7 passos

Planejamento de inspeção de manutenção

1. Planejamento 

Para elaborar um planejamento, muito estudo é necessário. 

Não basta apenas observar o comportamento dos funcionários no dia a dia e definir o que está certo ou errado. 

Dessa forma o serviço não vai adiante, pois é preciso pesquisar ainda mais. 

Por isso, pensamos em quatro pontos que devem ser levados em consideração na hora de planejar uma rotina. 

São eles: 

  1. Entender quais são os EPI ‘s que a empresa utiliza. Os equipamentos de proteção individual são necessários e fazem a diferença nas horas de risco. 
  2. Como os funcionários estão expostos. Quais são os perigos para a saúde individual e coletiva daquela operação.  
  3. Como funcionam os manuais de instrução de uma máquina. Além de quais são as suas particularidades e os seus maiores defeitos.
  4. Quais são os setores envolvidos em cada tarefa. A ordem que deve ser seguida tanto para produzir, quanto para inspecionar.

A partir daí, entende-se melhor o funcionamento do ambiente de trabalho. 

São feitos relatórios, levantamento de dados e muitas outras questões que estarão sempre de acordo com as normas vigentes. 

Por causa de todos esses motivos, uma inspeção de manutenção não deve ser feita de qualquer maneira. 

Quanto maior o cuidado com a operação, melhores são os resultados das vistorias e do ambiente como um todo.  

E para que isso possa começar a andar, identifique quais equipamentos precisam de maior atenção. 

2. Definição de equipamentos

Uma rotina de inspeção deve começar basicamente neste ponto. 

Em locais como hospitais, esse tipo de inspeção é feita constantemente em equipamentos cirúrgicos, por exemplo. 

A partir daí fica mais fácil entender quais são os equipamentos que devem ser inspecionados após a sua manutenção. 

Aqueles nos quais são fundamentais para a sua operação, seja parcialmente ou por completo. 

Consulte o seu planejamento e todo o levantamento de dados para começar a trilhar o caminho da ação. 

Levando sempre em conta a necessidade do uso desse equipamento, são abordados 3 critérios: 

  • O seu risco físico

Aqui é onde se observa as ameaças, em caso de falha do aparelho. Isso deve ser verificado mesmo após um diagnóstico dos profissionais envolvidos. 

  • A sua função 

Qual é o seu objetivo de uso? Como o próprio nome já indica, a função dessa etapa é atrelada a várias etapas do serviço, identificando necessidades e obrigações. 

  • O seu nível de relevância 

O grau de importância daquele equipamento para o serviço que está sendo prestado, seja pelo enfoque financeiro, estratégico ou financeiro. 

3. Escolha de itens 

O uso, citado no item anterior, é peça chave para a escolha dos itens. 

Para não atrapalhar a sua rotina de serviço, as inspeções devem ocorrer em horários diferentes. 

Sempre priorizando resolver aquilo que possa te dar mais dor de cabeça. 

Por isso, ao analisar o planejamento, perceba nos setores aqueles itens que são cruciais para as ações do dia a dia. 

Como, por exemplo, nas linhas de produção, onde uma máquina é dependente da função da máquina anterior. 

Deve-se levar em consideração a necessidade, o local, a função e outros pontos que sejam interessantes para o negócio em específico. 

Nesse caso que se percebe a diferença da máquina própria para finalizar a produção, das máquinas que exercem o mesmo papel na metade do caminho.

É uma questão de prioridade, de escolhas assertivas que não atrapalhem o processo no geral.

Caso queira saber, falamos um pouco mais sobre o assunto nesse material.

4. Frequência 

A frequência diz respeito ao período de tempo em que isso será realizado.

Seja diariamente, semanalmente, mensalmente, trimestralmente ou a cada seis meses. 

Cada inspeção tem as suas particularidades e necessidades. 

Por isso, procure identificar, ainda em seu planejamento, o tempo que é necessário para inspecionar cada manutenção. 

Dessa forma, a introdução dessa ação na rotina se torna algo natural com poucos instantes. 

Encaixar a frequência a sua rotina garante mais segurança a todos os colaboradores. 

Porém, lembre-se sempre de deixar os setores e responsáveis bem informados e treinados para o seu cumprimento. 

Se preciso for, contrate técnicos em segurança do trabalho para atuar em seu negócio.

 Ou mesmo treine os colaboradores que lá estão para realizar a sua execução.

5. Procedimento 

Já sabendo o item que será inspecionado e as datas, é hora de organizar o seu procedimento. 

É aí que surge, basicamente, o manual de instruções de como executar uma boa inspeção de manutenção. 

De forma segura, alguns locais utilizam checklists para definir o ordenamento das ações. 

Nessa lista de checagem, seja de papel ou de preferência digital, vão os detalhes de cada setor, máquina e operação. 

Definindo um procedimento técnico e profissional de como agir na hora de analisar certo tipo de equipamento. 

Itens a serem observados: 

  • Limpeza 
  • Condições externas
  • Desgaste de peças
  •  Avisos e alertas 
  • Condições de acessórios

6. Acompanhamento 

Este item complementa o seu planejamento. 

Pois, só planejar e designar funções não gera resultados de imediato, é preciso se manter atento. 

E identificar as maiores dores são extremamente importantes. 

A preocupação com a melhoria da inspeção de manutenção vai de acordo com o bom acompanhamento de dados, dashboards e gráficos que são gerados. 

Saber os itens e setores que te dão prejuízo faz parte do conhecimento do todo do negócio. 

E para melhorar a inspeção é ideal observar as estatísticas e demais números gerados por meio da análise. 

Assim, um acompanhamento dos gestores e dos responsáveis pela inspeção identificam máquinas, equipamentos e peças que devem ser trocadas com urgência. 

Além daqueles itens crônicos, que gastam mais tempo para realizar a sua manutenção do que para desempenhar 100% a sua função.

Aí fica escancarada a necessidade da revisão, da compra e do descarte. 

Onde essas trocas certamente dão novo gás à produção, influenciando no desempenho de cada um. 

Estar com todos esses pontos alinhados causa impacto até mesmo nos números de vendas, criando mais ânimo no ambiente.

Porém, isso só é possível com a união da equipe. 

7. Trabalho em equipe 

Quando os setores se unem, as coisas acontecem com mais facilidade. 

A inspeção de itens que passaram por manutenções não deve ser tratada como uma preocupação e sim como uma solução. 

Solução, pois traz mais vida à produção, em questão de organização e melhores condições de trabalho. 

Por este motivo, ao identificar os números que fazem parte do seu planejamento e do acompanhamento, estimule os seus colaboradores

Quando o trabalho em equipe ocorre as metas são batidas, sejam elas de lucro ou de segurança. 

Claro, o caminho para se chegar no topo é muito longo, mas com incentivo, boa comunicação e decisões assertivas, tudo tende a fluir. 

Esta dica é estritamente importante, pois mexe com a união daqueles que se doam diariamente pela empresa. 

Aproxime setores, fortaleça a relação entre os funcionários e veja resultados.

Aplicativo para inspeção de manutenção

Conheça o Checkbits    

Nós temos uma boa dica para você que pretende executar uma boa inspeção de manutenção. 

Para isso é utilizada uma ferramenta de checklists digitais, que tem por intuito modificar a organização do local durante a rotina. 

Garantindo mais segurança na operação em um dos seus momentos mais tensos. 

E os aplicativos de checklists, como o exemplo do CHECKBITS, transformam a inspeção do local em algo mais produtivo e controlado. 

Com dados e atualizações em tempo real, que são gerados através de relatórios. 

Além de serem demonstrados em documentos autorizados. 

Com o CHECKBITS, você consegue além de verificar o que tem sido preenchido, também programa as datas e horas corretas de cada inspeção.

Solicita que os funcionários coloquem evidências através de fotos tiradas na hora.

Além de designar tarefas a operadores que irão corrigir não conformidades. 

Tudo isso passando diretamente pelos gerentes, técnicos ou responsáveis. 

Através do menu de gestão de tarefas você consegue ver se eles preencheram, se atrasaram ou deixaram de fazer. 

Ainda, sem precisar compilar dados, consegue ver o status geral através dos gráficos e dashboards.

Tudo isso em uma plataforma completa que simplifica os desafios da inspeção de manutenção. 

Quer saber como garantir isso para o seu negócio? Entre em contato com os consultores.

Gostou do que viu neste texto? Confira outros artigos clicando aqui

Nos ajude compartilhando este conteúdo em suas redes sociais!

Deixe um comentário